Um dos poucos artistas dedicados à escultura egresso da Geração 80, cuja tônica era a pintura, o paulistano radicado no Rio de Janeiro, Angelo Venosa, traz à sua cidade natal a mostra “Penumbra”. Com curadoria da historiadora e curadora de arte Vanda Klabin, a exposição na Galeria Nara Roesler deriva de outra de mesmo nome, realizada no ano passado em Vila Velha.

“Penumbra” traz oito esculturas – seis provenientes da exposição no museu capixaba e
outras duas, inéditas, realizadas em 2017. As obras foram produzidas em materiais como bronze, madeira, tecido e fibra de vidro, e exploram áreas cheias e vazias que criam formas de inesperada plasticidade. As esculturas formam com a sombra produzida pela
iluminação incidente um corpo enigmático. Juntas, constroem particular atmosfera onírica.

Segundo Klabin, nova série de trabalhos de Angelo Venosa desperta muitas desconcertantes indagações. “O agenciamento de outros materiais para construir um novo continente de trabalho vai presidir a criação de um núcleo de obras envoltas em incidências luminosas que se desenvolve numa turbulência interna, em que as formas oscilam e tomam posição, no sentido de multiplicar os planos, criar uma ambiguidade espacial”.

Angelo Venosa: Penumbra
Abertura: 09/02/19; 11h
Visitação: até 16/03/19; segunda a sexta, 10h-19h; sábado, 11h-15h
Galeria Nara Roesler: Avenida Europa, 655, São Paulo. Entrada gratuita