Autor de uma das mais importantes séries de obras iconográficas das principais referências da música brasileira, o artista plástico Elifas Andreato tem uma intensa produção construída ao longo dos últimos 50 anos, sempre refletindo seu engajamento por mais acesso à cultura e à educação, à construção da cidadania e à mais ampla defesa dos diretos humanos. Um recorte do seu trabalho compõe a exposição A Arte de Elifas Andreato na Música Brasileira, com curadoria de Emanoel Araujo, reunindo retratos de gente como Pixinguinha, Paulinho da Viola, Martinho da Vila, Cartola, Gilberto Gil, Clara Nunes, Clementina de Jesus, Tim Maia, Milton Nascimento, Criolo, João Bosco, entre outros. A seleção de obras inclui originais (alguns deles nunca antes expostos) e algumas reproduções, como o cartaz para os 50 anos da Semana de Arte Moderna.
A abertura da exposição, na terça, 20 de agosto, às 19h, no Museu Afro Brasil, Parque do Ibirapuera, em São Paulo, será marcada por um (não muito comum e sempre empolgante!) encontro entre Paulinho da Viola e Martinho da Vila. Os dois participarão de um bate-papo com o público, ao lado do próprio artista Elifas Andreato, do diretor do Museu Afro Brasil e curador da exposição Emanoel Araujo, do rapper Rappin Hood, da cantora Anna Setton, do grupo musical Ilú Obá de Min e da escritora Janaína Marquesini, uma das autoras da biografia de Clementina de Jesus, Quelé, A Voz Da Cor. Promovido pelo Instituto Elifas Andreato, o encontro tem entrada franca.

Durante a abertura, haverá um bate-papo aberto ao público com Elifas Andreato, Paulinho da Viola, Martinho da Vila, Emanoel Araujo, Rappin Hood, Janaína Marquesini, Anna Setton e Ilú Obá de Min.

A Arte de Elifas Andreato na Música Brasileira – Um tributo à Clementina de Jesus
Abertura: 20/08/19, 19h
Visitação: até 05/10/19; terça a domingo, das 10h às 17h
Museu Afro Brasil: Parque Ibirapuera, Portão 10, São Paulo. Entrada gratuita
Entrada: Gratuita

Compartilhar