O Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP) acaba de receber um vasto
acervo com manuscritos, datiloscritos, cartas, fotos e desenhos do artista baiano Rubem
Valentim (1922-1991). O material —mais de 10.000 itens distribuídos por trinta caixas— foi doado pelo recém-criado Instituto Rubem Valentim e ficará armazenado no Centro de
Pesquisas do MASP.

Entre 2018 e 2019, o MASP realizou a mostra monográfica Rubem Valentim: construções afro-atlânticas, no contexto das Histórias afro-atlânticas, eixo curatorial do museu em 2018. Segundo Fernando Oliva, curador da exposição, a doação concretiza um antigo sonho do artista: reunir a maior parte de seus documentos e arquivos pessoais em um mesmo local, disponível para o acesso de pesquisadores do Brasil e do mundo. E o fato de essa descoberta se dar no momento em que a obra de Valentim passa por reavaliações, no
contexto de uma perspectiva afro-brasileira, como a exposição e catálogo do MASP, vai ao
encontro da importância desta doação. “O material pode jogar nova luz sobre a obra do
artista e sua relação com a arte afro-brasileira e africana”, diz o curador.

Compartilhar