11 artistas brasileiros para ficar de olho em 2019

Tempo de leitura estimado: 3 minutos

2019 mal começou e o ARTEQUEACONTECE já está de olho nos artistas que vão se destacar ao longo deste próximo ano! Veja aqui a lista de 11 artistas brasileiros para ficar de olho!

 

1. Erika Verzutti – a brasileira abre no mês de fevereiro uma individual no incomparável Centre George Pompidou, em Paris. A mostra faz parte da terceira edição do programa “Mutations / Créations”.

 

2. Tiago Mestre – o português radicado em São Paulo está, atualmente, na conceituada residência artística Gasworks, em Londres. O programa, que traz incrível visibilidade para os artistas, se encerra em março.

 

3. Anna Maria Maiolino – uma das mais importantes artistas da geração dos anos 1960 e 70, Maiolino terá uma grande mostra solo no PAC de Milão, em março. “O Amor se faz Revolucionário” tem curadoria de Diego Sileo e destaca o caráter de força e vitalidade da produção da artista italiana radicada no Brasil.

 

4. Artur Lescher – o artista paulistano organizará na Pinacoteca uma retrospectiva que pontua os momentos mais importantes de sua trajetória, também em março. A mostra terá curadoria de Camila Bechelany.

 

5. Jac Leirner – em 2018, Jac teve uma das mais bem recebidas exposições do ano em sua galeria, “Adição”, em maio, e em outubro foi anunciada como ganhadora do prêmio Wolfgang Hahn. A premiação acontece em abril deste ano, e o museu que promove o evento também apresentará uma individual da artista.

 

6. Felippe Moraes – o artista, hoje radicado em Portugal, abre uma exposição individual em um dos espaços expositivos da FIESP, na Av. Paulista. A mostra é dedicada à experiência da música e do som, e terá uma cuidadosa abertura para o público infantil.

 

7. Bárbara Wagner e Benjamin de Burca – a dupla, formada por uma brasileira e um alemão, participou da 32a Bienal de São Paulo, do Skulptur Projekte em 2017 e apresentou uma nova pesquisa no IMS em 2018 na mostra Corpo a Corpo. Agora, em 2019, o duo irá ocupar o pavilhão brasileiro na próxima edição da Bienal de Veneza, em maio, com curadoria de Gabriel Peréz-Barreiro.

 

8. Élle de Bernardini – depois de ganhar uma das vagas do primeiro programa de residência artística do Instituto Adelina em São Paulo e de uma individual no MARGS, na qual apresentou a série fotográfica “Imperatriz”, Élle de Bernardini mudou-se de vez para a capital paulista e está se preparando para sua residência no espaço independente Pivô, em maio – jovem produção para ficar no radar.

 

9. Bruno Novaes – depois de entrar para o time de representados da OMA Galeria em 2018 e ter duas exposições individuais – uma no próprio espaço da OMA em São Bernardo e outra na Casa do Olhar, em Santo André, Bruno Novaes foi selecionado para a Temporada de Projetos do Paço das Artes e deve logo mais trazer sua mais nova individual para o MIS.

 

10. Carlos Monroy – já figurado na seção Artista Aposta do AQA, Carlos Monroy acaba de encerrar 3 meses de residência artística na prestigiada Cité des Arts, em Paris. No fim de 2018, apresentou sua individual, “Corpus Leve Obis Novus – Erários do Rei Momo El Migrante V”, no Centro Cultural São Paulo, parte do Programa de Exposições da instituição.

 

11. Lyz Parayzo – depois de se destacar em performances realizadas no Parque Lage, no Rio de Janeiro, e de participar da grande coletiva “Histórias da Sexualidade”, no MASP, Lyz Parayzo esteve em residência no Pivô, foi uma das finalistas do Prêmio EDP nas Artes e está expondo em Portugal. Agora com residência fixa em São Paulo, continua desenvolvendo sua pesquisa e escancarando cada vez mais questões políticas e sociais urgentes dentro e fora do mundo da arte.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support