Alessandra Duarte

por Caroline Carrion

As pinturas de Alessandra Duarte apresentadas em sua primeira individual em São Paulo (2011) retratavam arquiteturas modernistas em meio a luxuriosas florestas tropicais, nas quais a figura humana aparecia em geral pequenina, bem delineada, mas nas cores do plano sobre o qual se movimentava, borrando a separação entre figura e fundo. A partir de 2012, porém, vê-se uma mudança essencial no tema de seu trabalho: a natureza ganha força sobre as construções humanas, que aparecem em ruínas ou já sob a forma de entulho. Surgem paisagens que remetem a cenas pós-catástrofes naturais, com tesouros escondidos em meio às montanhas de destroços, escavadas por figuras encurvadas. A paisagem por vezes cresce em violência, e em momentos convive placidamente com outras formas de abrigo, mais vulneráveis e em comunhão com a natureza: casas da árvore, barracas e barcos.

Quanto ao tratamento pictórico e ao aspecto formal, Duarte tem se mostrado desde o início de sua trajetória uma exímia colorista. Densos azuis e verdes tendem a dominar parte de suas composições, enquanto outras são claras e luminosas com presença de tons vermelhos e laranjas. Um de seus projetos recentes, Seis Dias para um Arco-Íris, articula sua pesquisa formal em pintura à atividade política: durante todo o ano de 2016, a artista acompanhou registros de assassinatos de motivação homofóbica e transfóbica cometidos no Brasil. Se não houvesse nenhum assassinato relatado no dia, realizava uma pequena tela com uma das seis cores da bandeira do movimento LGBTQ. Fosse um crime cometido, a artista fazia um retrato ou representação em preto e branco da pessoa, ou pessoas, mortas naquele dia, e retornava à tentativa de formar um arco-íris no próximo dia sem homicídio, começando novamente pelo vermelho.

A atuação da artista não se limita à pintura. Além de obras sobre papel, instalações e experimentações audiovisuais, Duarte é guitarrista da banda Ema Stoned, fundada em 2011, que ganha cada vez mais espaço na cena nacional. Alessandra Duarte nasceu em São Paulo, em 1984, e formou-se em 2007 em artes plásticas e história da arte no Bard College (Annadale-on-Hudson, NY, EUA). Apresentou exposições individuais no False Flag Projects (Nova York, 2017), no Buitenwerkplaats (Starnmeer, Holanda, 2015), no Museu de Arte de Goiás (2012) e na Zipper Galeria (2013 e 2011).