Alessandra Duarte

por Caroline Carrion

Tempo de leitura estimado: 2 minutos

As pinturas de Alessandra Duarte apresentadas em sua primeira individual em São Paulo (2011) retratavam arquiteturas modernistas em meio a luxuriosas florestas tropicais, nas quais a figura humana aparecia em geral pequenina, bem delineada, mas nas cores do plano sobre o qual se movimentava, borrando a separação entre figura e fundo. A partir de 2012, porém, vê-se uma mudança essencial no tema de seu trabalho: a natureza ganha força sobre as construções humanas, que aparecem em ruínas ou já sob a forma de entulho. Surgem paisagens que remetem a cenas pós-catástrofes naturais, com tesouros escondidos em meio às montanhas de destroços, escavadas por figuras encurvadas. A paisagem por vezes cresce em violência, e em momentos convive placidamente com outras formas de abrigo, mais vulneráveis e em comunhão com a natureza: casas da árvore, barracas e barcos.

Quanto ao tratamento pictórico e ao aspecto formal, Duarte tem se mostrado desde o início de sua trajetória uma exímia colorista. Densos azuis e verdes tendem a dominar parte de suas composições, enquanto outras são claras e luminosas com presença de tons vermelhos e laranjas. Um de seus projetos recentes, Seis Dias para um Arco-Íris, articula sua pesquisa formal em pintura à atividade política: durante todo o ano de 2016, a artista acompanhou registros de assassinatos de motivação homofóbica e transfóbica cometidos no Brasil. Se não houvesse nenhum assassinato relatado no dia, realizava uma pequena tela com uma das seis cores da bandeira do movimento LGBTQ. Fosse um crime cometido, a artista fazia um retrato ou representação em preto e branco da pessoa, ou pessoas, mortas naquele dia, e retornava à tentativa de formar um arco-íris no próximo dia sem homicídio, começando novamente pelo vermelho.

A atuação da artista não se limita à pintura. Além de obras sobre papel, instalações e experimentações audiovisuais, Duarte é guitarrista da banda Ema Stoned, fundada em 2011, que ganha cada vez mais espaço na cena nacional. Alessandra Duarte nasceu em São Paulo, em 1984, e formou-se em 2007 em artes plásticas e história da arte no Bard College (Annadale-on-Hudson, NY, EUA). Apresentou exposições individuais no False Flag Projects (Nova York, 2017), no Buitenwerkplaats (Starnmeer, Holanda, 2015), no Museu de Arte de Goiás (2012) e na Zipper Galeria (2013 e 2011).

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
pt_BR