Cartas a Alécio de Andrade

IMS Rio, Rio de Janeiro

“Uma arte vinculada com a mais fugitiva e perene das realidades poéticas, eis o dom sublime de Alécio de Andrade.” Com essas palavras, Carlos Drummond de Andrade descreveu a primeira exposição do fotógrafo. Nascido no Rio de Janeiro, Alécio de Andrade (1938-2003) desenvolveu grande parte de seu trabalho em Paris, cidade em que viveu desde 1964, e contribuiu com veículos como aManchete, além da conceituada agência Magnum. Ao longo de sua trajetória, mesmo vivendo em outro país, manteve um constante diálogo com intelectuais brasileiros, como o próprio Drummond.

Esse exercício de troca que permeia sua produção é o tema da mostra Cartas de Almir de Andrade, Carlos Drummond de Andrade, Antonio Bulhões, Ismael Cardim, Roberto Alvim Corrêa, Marco Aurélio Matos, Elza Proença, Marques Rebelo, Otto Lara Resende, Fernando Sabino a Alécio de Andrade, que o IMS Rio inaugura neste sábado (20), às 17h.

A exposição reúne cerca de 45 retratos realizados pelo fotógrafo durante toda a sua carreira, muitos dos quais inéditos. São imagens de escritores, artistas e outras importantes figuras brasileiras, com quem Alécio conviveu no Brasil e, especialmente, em Paris. A seleção inclui retratos de nomes como Carlos Drummond de Andrade, Fernando Sabino, Otto Lara Resende, Paulo Mendes Campos, Hélio Pellegrino, Marques Rebelo, Antonio Bulhões, Roberto Alvim Corrêa, Vinicius de Moraes, Ferreira Gullar, Oscar Niemeyer, Glauber Rocha, Celso Furtado, Mário Pedrosa e Lygia Clark. A maior parte dos retratos data das décadas de 1970 e 1980, com alguns produzidos em 1963 e 1964.

Muitas das personalidades retratadas se corresponderam, por anos, com o fotógrafo. A mostra apresenta um conjunto de cartas originais destinadas a Alécio, escritas por Drummond, Antonio Bulhões, Marques Rebelo, Otto Lara Resende, entre outros. Essas cartas também são reproduzidas no livro homônimo, que o Instituto Moreira Salles lança no dia de abertura da mostra. A publicação é organizada e editada por Patricia Newcomer, companheira do fotógrafo, mãe de seus filhos e fundadora de seu arquivo em Paris. Ela também é responsável pela curadoria da mostra ao lado de Sergio Burgi, coordenador de fotografia do IMS.

A relação entre texto e imagem, entre fotografias e correspondências, proposta pela curadoria, tem como objetivo aproximar o público do universo afetivo e criativo de Alécio. Também evidencia as relações entre a França e o Brasil no período, quando muitos intelectuais e artistas deixaram o país durante a ditadura militar. “Há um sentido de deslocamento, de trânsito, no conjunto exibido. São relacionamentos que perduram, rompendo com a distância que separa Alécio de seus interlocutores”, pontua a curadoria. A exposição traz também livros de diversos autores, com dedicatórias ao fotógrafo.

Cartas a Alécio de Andrade
Curadoria:
Patricia Newcomer e Sergio Burgi
Abertura:
20/10, 17h
Visitação: até 24/03/19; terça a domingo, 11h-20h
IMS Rio: Rua Marquês de São Vicente, 476, Rio de Janeiro. Entrada gratuita