Guggenheim declina pedido de empréstimo à Casa Branca, mas oferece privada de ouro no lugar

(Fonte: Washington Post)

Após receber um pedido do departamento de curadoria da Casa Branca solicitando o empréstimo de uma pintura de Van Gogh para decorar os aposentos privativos de Melania e Donald Trump, a curadora-chefe do Guggenheim, Nancy Spector, viu-se na posição de recusar a solicitação. Em e-mail de 15 de setembro de 2017 recém-publicado pelo Washington Post, ela explica que “Paisagem com Neve” (1888) estava indisponível, pois seguiria em breve para exposição no Guggenheim Bilbao. “Fortuitamente”, Spector escreve, naquele mesmo dia saía de exibição um “trabalho maravilhoso” do italiano Maurizio Cattelan (n. 1960), que o artista gostaria de oferecer em empréstimo à Casa Branca: a obra “América”, um vaso sanitário plenamente funcional, forjado em ouro 18k, que ficou em exibição (e uso) no banheiro do quinto andar do museu nova-iorquino por um ano. “A obra canaliza lindamente a história das vanguardas artísticas do século XX fazendo uma referência ao famoso urinol de Marcel Duchamp, de 1917”, a curadora explica, adicionando que a peça é extremamente valiosa e um tanto frágil, mas que o Guggenheim disponibilizaria as instruções para sua montagem e manutenção.

Quando questionado sobre o motivo de sua oferta ao presidente e sua família, Cattelan (conhecido no meio da arte por suas obras provocadoras e por seus comentários evasivos quando questionado sobre o significado de seu trabalho) apenas disse: “Qual o sentido da nossa vida? Tudo parece absurdo até que morramos, quando tudo passa a fazer sentido”. Nancy Spector, que se opõe abertamente ao presidente desde sua eleição, não comentou sua correspondência com a Casa Branca, mas a autenticidade do e-mail publicado pelo Post foi confirmada por porta-voz do museu Guggenheim.

Maurizio Catellan, “America”, 2016, vista da instalação no museu Guggenheim, Nova York. Cortesia Guggenheim Museum. © Maurizio Catellan