Sesc abre mostra de artistas indígenas de diferentes etnias das Américas

Peças em madeira, pinturas, bordados e até arte digital, mostram a riqueza estética dos povos originários do Peru, Panamá, Canadá e Brasil

Tempo de leitura estimado: 3 minutos
Pintura do grupo MAHKU, composto por artistas do povo Huni Kuin
Pintura do grupo MAHKU, composto por artistas do povo Huni Kuin, no Brasil

Já sabemos que as  linhas que dividem as Américas não passam de uma construção, inventada pelos nossos colonizadores. Não parece absurdo, então, encontrar culturas originárias que dialogam entre si, com costumes, estéticas e cosmologias comuns. Quem visitar o Sesc Vila Mariana até o dia 13 de fevereiro de 2022, poderá ver peças de diferentes regiões para conferir com os próprios as similaridades na mostra Encontros Ameríndios.

Com coordenação da Profa. Dra. Sylvia Cauiby Novaes e curadoria do Dr. Aristoteles Barcelos Neto, a exposição reúne 45 obras de artistas dos povos Guna, de Comarca Kuna Yala, no Panamá; Haida, do Arquipélago de Haida Gwaii, no Canadá; Huni Kuin, da Terra Indígena do Alto Rio Jordão, no Brasil;  Shipibo-Konibo, da Comunidade de Cantagallo e Alto Ucayali, no Peru; e, Tahltan, de Telegraph Creek e Vancouver, no Canadá. 

Bordado feito por artisas do povo Guna
Bordado feito por artistas do povo Guna, no Panamá

A proposta é reunir trabalhos que conversam entre si e permitem reflexões sobr ancestralidade e temas contemporâneos, centrando também nas culturas desses povos. A seleção dos trabalhos é diversa, incluindo pinturas, desenhos, arte digital, bordados e entalhe em madeira – sempre destacando as transformações das produções ao longo dos anos; as preferências plásticas e estéticas; e, questões filosóficas e cosmológicas que as artes desses povos ameríndios apresentam.

Os canadenses Gwaai Edenshaw e seu irmão Jaalen Edenshaw, do povo Haida, se dedicaram entre 2009 e 2017 ao entalhe em madeira para replicar a Grande Caixa de Potlach Haida. Também do Canadá, o artista Alano Edzerza traz ilustrações de animais comuns à tradição do povo Tahltan.

Pintura feita por artistas do povo Shipibo-Konibo, no Peru
Pintura feita por artistas do povo Shipibo-Konibo, no Peru
Pintura feita por artistas do povo Shipibo-Konibo, no Peru
Pintura feita por artistas do povo Shipibo-Konibo, no Peru

Mulheres do povo Guna, do Panamá, exibem as molas, arte têxtil produzida a partir de camadas de tecidos que criam uma vasta gama de padrões, representando desde a vegetação nativa até a vida urbana, cada vez mais presente em seu cotidiano. Mais ao Sul, as peruanas Wilma Maynas Inuma e Olinda Silvano apresentam os bordados do povo Shipibo Konibo . 

Para representar o Brasil, os artistas do povo Huni Kuin, do coletivo MAHKU, pintaram um painel que explora o universo xamanístico do Nixi Pae (conhecido popularmente como ayahuasca).

Peça de madeira trabalhada pelo povo Haida, no Canadá
Peça de madeira trabalhada pelo povo Haida, no Canadá

Encontros Ameríndios

Local: Sesc Vila Mariana 

Endereço: Rua Pelotas, 141, São Paulo – SP

Data: até 13 de fevereiro de 2022

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support