Estátua polêmica de Medusa é colocada em frente à corte que julgou Weinstein

Obra do artista argentino Luciano Garbati ficará em exibição durante seis meses em parque que fica em frente ao tribunal que é conhecido por ser local de julgamento de crimes sexuais

Figura muito conhecida da mitologia grega, Medusa é uma personagem muito considerada quando o assunto é feminismo e proteção às mulheres. Nesta semana, foi instalada na cidade de Nova York, nos Estados Unidos, uma escultura que retrata a personagem, intitulada Medusa com a cabeça de Perseu, do artista argentino Luciano Garbati, mostrando Medusa em pé com a cabeça cortada do herói grego em uma das mãos e uma espada na outra.

O local onde foi instalada é muito simbólico: em frente ao prédio do tribunal que condenou o produtor de cinema Harvey Weinstein em 2020 por crimes sexuais contra mulheres. A colocação da obra ali já deveria ter acontecido, mas sofreu atraso por conta da pandemia, conta o artista em seu Instagram. A obra foi selecionada pela City of New York’s
Park Administration ficar durante seis meses no Collect Pond Park, em frente ao Tribunal Criminal do Condado.

“Eu diria que estou honrado pelo fato de que a escultura foi escolhida como um símbolo”, disse o artista ao The New York Times. A escolha, porém, gerou algumas críticas em vários sentidos, seja pelo fato de que a obra escolhida por de um artista homem ou porque a imagem seria muito violenta e “passaria uma mensagem errada”.