Instituições de diversos setores ligadas à arte marcam presença na ArtRio 2021

Na 11ª ArtRio, instituições vinculadas a projetos sociais, a educação, defesa da mulher, dentre outros, têm estandes na feira com obras de artistas parceiros

Adriana Varejão, Tintas Polvo (Edição 6 tubos), 2013-2017.

Além das mais de 60 galerias que participam da 11ª edição da ArtRio, que acontece de 8 a 12 de setembro na Marina da Glória, no Rio de Janeiro, existe um espaço da feira totalmente dedicado a instituições que têm atuação na valorização e na divulgação da arte e dos artistas. Algumas delas são vinculadas a pautas como os direitos das mulheres e a educação.

São ao todo 13 instituições que estão localizadas no espaço do edifício Varanda ArtRio, que fica na área externa do prédio que recebe o evento. Este espaço foi concebido especialmente para receber, além desses estandes, os programas SOLO e MIRA. Neste setor, estão estandes como o do MAM Rio, que apresenta trabalhos da 8ª edição do Clube de Colecionadores do MAM Rio, e também a 01.01, plataforma de arte que oferece uma forma mais consciente e sustentável de adquirir arte contemporânea, com foco na produção africana e da diáspora africana.

Conheça abaixo mais alguns dos projetos que fazem parte desta rede de instituições:

Gervane de Paula, Arte Aqui Eu Mato, no estande da MT Projects

Rede NAMI

Criada em 2010 pela artista Panmela Castro, a Rede Nami é uma ONG formada por mullheres que utiliza a arte como veículo para transformação cultural. Participando pela primeira vez da feira, o projeto tem como bases o fim da violência contra a mulher e o fomento do protagonismo das mulheres nas artes. Na Marina da Glória, a ONG tem um estande com um conjunto de obras de feitas por artistas mulheres, não brancas, com deficiência, trans e travestis, alunas e ex-alunas dos programas da ONG, juntamente com professores e parceiros como Jaime Lauriano, Adriana Varejão e Marcela Cantuária.

Solar dos Abacaxis

O Solar dos Abacaxis traz para esta ArtRio a segunda edição de Afluente, uma iniciativa estabelece uma corrente de apoio à sustentabilidade da instituição, dos artistas participantes e de movimentos de luta e lideranças indígenas em diversos territórios do país. Com base na construção coletiva, na prática ética da partilha e na celebração das potências artísticas produzidas a partir dos saberes da terra. Entre os artistas presentes e apoiadores estão Ernesto Neto, Paulo Paes, Tiago Sant’ana, Tunga, Vivian Caccuri; e colaboradores como Abiniel João Nascimento, Edgar Xakriabá, Gustavo Caboco, Matheus Ribs, Moara Brasil Tupinambá, Sallisa Rosa, e Sophia Pinheiro.

Moara Tupinambá, Kuêra (da série Yuíre) (2021

MT Projetos de Arte

A plataforma artística MT Projetos de Arte inaugurou seu espaço físico no último sábado, 4 de setembro, com uma exposição do artista Jota. O projeto participa também da ArtRio com um estande que apresenta 30 peças do artista Gervane de Paula. Nascido em Cuiabá, Mato Grosso, integrou a “Geração 80”, movimento artístico de forte relevância que surgiu a partir de exposição, em 1984, no Parque Lage. Sua obra apropria-se das referências da cultura de massa, popular e religiosa, para abordar temas como a violência urbana e o cenário de desigualdade da sociedade em que está inserido.

Move Rio

Associação civil sem fins lucrativos fundada em 2008, a Move Rio foi criada por um coletivo de de amigos que voltaram seu olhar a problemas sociais da cidade do Rio de Janeiro. O foco de suas ações está principalmente na área de Educação. Na ArtRio, seu estande apresenta obras que participam de seu X Leilão Beneficente, que acontecerá em formato online. A seleção das obras foi feita pela curadora Vanda Klabin, com co-curadoria de Manuela Parrino. Nesta edição d leilão, a renda será revertida para o projeto Abrace uma Escola, realizado pelo Move Rio em parceria com a Secretaria Municipal de Educação.