As crianças iraquianas revisitando seu passado para entender seu presente. Sandlines, novo filme de Francis Alÿs, retrata crianças da de uma aldeia nas montanhas perto de Mosul reencenam um século da história do Iraque: desde o Acordo Sykes-Picot,  assinado em 1916 pelos governos do Reino Unido e da França para definiu as suas respectivas esferas de influência no Oriente Médio, até o error estabelecido pelo Estado Islâmico em 2016.

A obra de 61 minutos será apresentada no Sundance Film Festival, em Utah, dentro da categoria New Frontiers. Filmado durante várias viagens nos últimos anos, o filme faz parte de um corpo de trabalho maior focado no Iraque, cujo início foi exibido pela primeira vez no Pavilhão do Iraque durante a Bienal de Veneza 2017.

Alÿs desenvolve uma poética diretamente ligada às preocupações antropológicas e geopolíticas do mundo contemporâneo. Seus projetos multifacetados, incluindo ações públicas, instalações, vídeos, pinturas, e desenhos envolveram viajar a rota mais longa possível entre o México e nos Estados Unidos; empurrar um bloco de gelo derretendo pelas ruas da cidade; encomendar pintores de sinais para copiar suas pinturas; filmar seus esforços para entrar no centro de um tornado; carregar uma lata de tinta vazando ao longo da fronteira contestada entre Israel e Palestina; e, equipar centenas de voluntários para mover uma colossal duna de areia dez centímetros.

Compartilhar