Galleria Continua chega no Brasil ocupando o novo estádio do Pacaembu 

Depois de ocupar espaços como um cinema no bairro chinês de Havana, um antigo teatro em San Gimignano, uma fábrica dos anos 1950 estilo Bauhaus em Beijing e um galpão nos arredores de Paris, a Galleria Continua segue em busca de lugares para mostrar arte que fogem do cubo branco: acaba de anunciar que sua sede no Brasil será dentro do estádio Pacaembu, construído em 1940.

Fundada em 1990 por Lorenzo Fiaschi e seus co-diretores, Mario Cristiani e Maurizio Rigillo, a galeria italiana trará ao Brasil obras de artistas como Anish Kapoor, Michelangelo Pistoletto e Cai Guo-Qiang. E a ideia é espalhar obras por todos os ambientes do novo estádio que sofrerá uma reforma sob nova administração. Depois de anos trabalhando na Galeria Vermelho ( cujos alguns dos artistas também são representados pela Continua), Akio Aoki será o sócio e diretor da galeria italiana no Brasil e declarou, à Folha de São Paulo, que irá espalhar obras pelas arquibancadas, restaurantes, gramado e piscinas. A famosa piscina do Pacaembu, aliás, deve receber uma instalação inspirada na obra que o argentino Jorge Macchi idealizou para Inhotim! Também já está prevista uma instalação do indiano Subodh Gupta em um dos restaurantes. Mas a a primeira obra a ser instalada será “Reflexo Estrutural”, de Marcelo Cidade: 15 pilhas de blocos de concreto, canos e viga metálica que faziam parte de um edifício modernista dos anos 1950.

No comunicado oficial da abertura, os porta vozes da galeria se posicionam: “A arte pode ser uma força motriz em um lugar onde várias vidas se reúnem e, trabalhando sob essa perspectiva, a galeria organizará seu programa em conjunto com a cidade”. Aguardamos ansiosamente para saber os próximos passos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *