Depois de ocupar espaços como um cinema no bairro chinês de Havana, um antigo teatro em San Gimignano, uma fábrica dos anos 1950 estilo Bauhaus em Beijing e um galpão nos arredores de Paris, a Galleria Continua segue em busca de lugares para mostrar arte que fogem do cubo branco: acaba de anunciar que sua sede no Brasil será dentro do estádio Pacaembu, construído em 1940.

Fundada em 1990 por Lorenzo Fiaschi e seus co-diretores, Mario Cristiani e Maurizio Rigillo, a galeria italiana trará ao Brasil obras de artistas como Anish Kapoor, Michelangelo Pistoletto e Cai Guo-Qiang. E a ideia é espalhar obras por todos os ambientes do novo estádio que sofrerá uma reforma sob nova administração. Depois de anos trabalhando na Galeria Vermelho ( cujos alguns dos artistas também são representados pela Continua), Akio Aoki será o sócio e diretor da galeria italiana no Brasil e declarou, à Folha de São Paulo, que irá espalhar obras pelas arquibancadas, restaurantes, gramado e piscinas. A famosa piscina do Pacaembu, aliás, deve receber uma instalação inspirada na obra que o argentino Jorge Macchi idealizou para Inhotim! Também já está prevista uma instalação do indiano Subodh Gupta em um dos restaurantes. Mas a a primeira obra a ser instalada será “Reflexo Estrutural”, de Marcelo Cidade: 15 pilhas de blocos de concreto, canos e viga metálica que faziam parte de um edifício modernista dos anos 1950.

No comunicado oficial da abertura, os porta vozes da galeria se posicionam: “A arte pode ser uma força motriz em um lugar onde várias vidas se reúnem e, trabalhando sob essa perspectiva, a galeria organizará seu programa em conjunto com a cidade”. Aguardamos ansiosamente para saber os próximos passos.

Compartilhar