Paulo Whitaker revisita pesquisa sobre a pintura e o desenho em mostra na Galeria Millan

Em sua primeira individual na galeria, organizada por Ricardo Kugelmas, artista apresenta telas menores realizadas durante uma residência em 2019 e outras maiores mais recentes

Sem Título, 2021. FOTO: Filipe Berndt.

A Galeria Millan, localizada no bairro de Pinheiros, em São Paulo, recebe a exposição A ressignificação da arte dessignificada, do artista Paulo Whitaker, que ficará em cartaz até o dia 26 de junho. Primeira individual de Whitaker na galeria, esta mostra em organização de Ricardo Kugelmas, reunindo telas que foram realizadas ao longo de uma residência da qual o artista participou no final de 2019, na Art Farm Project, e outras obra em maior formato feitas ao longo de 2020 e 2021.

Durante a residência, o artista voltou a ter contato com suas pesquisas acerca da relação entre a pintura e o desenho. O artista pontua que continua em uma busca por imagens que o “deixem em estado de suspensão, uma situação estável / instável”. De acordo com ele, são imagens que ao mesmo tempo criam sensações de desconforto e certa plenitude no artista.

Ao longo de sua carreira, Whitaker acabou desenvolvendo um processo no qual vai realizando experimentações com bastante dinamismo. Passou por um período, pela década de 90, no qual foi influenciado pelo trabalho do estadunidense Terry Winters, trazendo para a sua produção características como “o acúmulo de decisões tomadas, mudanças de percurso e tentativas demarcadas na superfície da pintura”. Em seguida, trabalhou com uma ampliação das formas que trazia para suas telas, um processo que trouxe mais elementos para o seu trabalho, acompanhado da possibilidade do uso do estêncil para incorporar novas variações.

O crítico, professor e pesquisador Tadeu Chiarelli percebe o trabalho de Whitaker  “como uma espiral que vai e volta sobre si mesma – que segue para depois retornar”. Para ele, a produção do artista é constituída “entre e a partir de convulsões cíclicas que de repente fazem retornar crostas antes submersas, novas formações, configurando assim um dos territórios mais movediços e intrigantes por onde a arte brasileira atual se afirma”.

Paulo Whitaker: A ressignificação da arte dessignificada
Data: Até 26 de junho
Local: Galeria Millan (Rua Fradique Coutinho, 1360)
Mais informações: www.galeriamillan.com.br