Playlist AQA: Antonio Obá

Seleção musical do artista do Distrito Federal tem vozes nacionais que demonstram bastante paz e calmaria, como Milton Nascimento, Tiganá Santana e Zé Modesto

Antonio Obá, Requiem, 2019

Natural de Ceilândia, no Distrito Federal, o artista Antonio Obá tem sido ainda mais conhecido nos últimos anos por telas impressionantes que vem criando… Mas sua produção sempre chamou bastante a atenção por manter uma pesquisa bastante rigorosa sobre a história do corpo, especialmente sobre o corpo negro, trazendo-o para discussão considerando as questões históricas e sociais que se desenvolveram no Brasil. Isso foi transposto para a arte por Obá não apenas pelas pinturas, mas também por performances, desenhos e outros formatos.

O que poucos sabem sobre Obá é que ele é um amante da música e leva isso muito, mas muito, a sério. Em sua casa e em seu ateliê, é muito comum que ele esteja acompanhado por um violão, do qual ele tira músicas que gosta muito e que parecem ajudá-lo em uma espécie de meditação, como Bambayuque, de Zeca Baleiro, e a A Resposta, de Vitor Ramil. A música popular brasileira está bastante presente em sua vida e também na playlist logo abaixo que ele preparou especialmente para o AQA, convidado para a edição 42 da nossa seção musical!

Ele selecionou músicas de artistas nacionais bastante conhecidos, como Milton Nascimento, Egberto Gismonti, Monica Salmaso e Lô Borges, mas também traz uma seleção bastante especial de artistas um pouco mais contemporâneos e que não estão tanto assim na moda, mas que carregam uma importância enorme dentro da cena, como Tiganá Santana, Zé Modesto e Rubi. É importante notar que todos eles possuem uma semelhança: um grau muito caloroso de tranquilidade nas vozes.

Além desses nomes nacionais, a lista de Obá também compreende artistas internacionais bem classudos, como Miles Davis, Maria Callas e John Coltrane! Fica aqui uma menção especial também ao fenômeno atual indie Moses Sumney e à latinidade de Jorge Drexler e Loli Molina!