Reabertura de museus já acontece em diversos países

Enquanto no Brasil ainda não sabemos ao certo quando os museus e galerias começarão a reabrir, nos países onde as recomendações de autoridades competentes foram seguidas à risca, as pessoas já podem — ou ao menos têm ideia de quando poderão — ter o prazer de apreciar presencialmente uma obra de arte.

É importante frisar, no entanto, que as instituições que estão reabrindo colocam regras muito claras para a visitação, que incluem o uso de máscaras e o distanciamento social. Essas informações devem ser checadas com cada um dos espaços.

Na Europa, por exemplo, tudo tem alguma programação. O Reino Unido é um caso especial: após anunciar em esfera governamental que os museus poderiam reabrir a partir do dia 4 de julho, várias instituições e galerias começaram a se movimentar para suas reaberturas! Uma nova pesquisa feita pela empresa Ipsos Mori mostra que metade dos entrevistados dizem não se sentir seguros ainda para visitar exposições.

Os quatro museus do grupo de galerias Tate serão abertos apenas no dia 27 de julho e as visitações poderão ser feitas apenas mediante à compra de bilhetes online com antecedência. Em um comunicado, a diretora da Tate, Maria Balshaw, afirmou: “Nossa prioridade número um é que todos permaneçam seguros e bem, por isso continuaremos monitorando a situação nas próximas semanas, trabalhando em estreita colaboração com o governo e colegas e fazendo todas as alterações necessárias para uma reabertura segura”.

A Tate Britain vista internamente

O Victoria and Albert Museum planeja reabrir agosto, com mais detalhes a serem anunciados em breve. Mas, neste mês de julho, várias instituições planejam suas reaberturas: A National Gallery já reabriu no dia 8 de julho, a Royal Academy de Londres será aberta aos seus amigos em 9 de julho e ao público em 16 de julho. A Galeria de Arte e Conservatório de Barbican terá sua reabertura em 13 de julho; seguida da Galeria Whitechapel, em 14 de julho; e da coleção Estorick de Arte Moderna Italiana em 15 de julho

Entre os outros locais de Londres administrados pela HRP, o interior do Hampton Court Palace será reaberto a partir de 17 de julho e o Kensington Palace será aberto a partir de 30 de julho. Também visando maior segurança e postergando a reabertura para agosto estão as Serpentine Galleries e a Nottingham Contemporary, que abrirão em 4 de agosto.

O público já voltou a se aglomerar para fotografar a Monalisa, mas utilizando máscaras, no Museu do Louvre, em Paris desde o dia 6 de julho. O Jardim Carrossel e o Jardim das Tulherias já estão acessíveis desde o mês de junho!

Selfie de máscara em frente à Monalisa é uma realidade…

Por sua vez, ainda pela França, o Grand Palais e o Centre Pompidou foram reaberturos em 1º de julho e as exposições em cartaz forram prorrogadas!O Museu Orangerie abriu em em 22 de junho e do Museu d’Orsay teve abertura em 23 de junho. Inaugurada em 10 de março, a exposição Au pays des monstres, de Léopold Chauveau, e a mostra de James Tissot, intitulada L’ambigu moderne, que deveria ter sido inaugurado em 24 de março, foram estendidas até 13 de setembro no Musée d’Orsay.

Na Suíça, as instituições culturais e galerias puderam reabrir desde o dia 11 de maio, quando espaços como a Fundação Beyeler fizeram sua reabertura. O Kunstmuseum, em Berna, reabriu desde o dia 12 daquele mês, com uma mostra de El Anatsui, co-organizada por Okwui Enwezor, que foi estendida até o outono. The Old Masters Museum voltou a receber o público em 19 de maio. Em países como Espanha, Italia e Alemanha, os museus e galerias puderam abrir desde maio, assim como em Portugal.

Nos Estados Unidos, museus e galerias em algumas grandes cidades pelo país já reabriram, O Museu de Arte de San Antonio, o Museu de Belas Artes de Houston. Especificamente na Flórida, o Museu de Arte de Tampa já está recebendo os visitantes, assim como o Boca Raton Museum of Art. Mas outros museus de lá anunciaram que reabrirão apenas em setembro. Outros, como o ICA Miami, dizem não ter previsão ainda de voltar à ativa.

O Met, em Nova Iorque, deve reabrir apenas em agosto.

Em São Francisco, as instituições e galerias haviam sido liberadas pelas autoridades locais para começarem a reabertura no dia 28 de junho, mas o crescimento de casos de covid-19 fizeram com que os planos fossem adiados. Ainda não há data confirmada para reabertura das instituições agora, mas muitos museus já divulgaram seus protocolos de segurança.

O Metropolitan (Met) em Nova Iorque anunciou que só receberá visitantes a partir do final de agosto. A cidade, onde a onda de contágio e mortes pelo novo coronavírus foi muito forte, ainda tem muitas restrições sobre reabrir os locais para receber público. Glenn D. Lowry, diretor do MoMA, disse que espera poder receber visitantes de novo entre o final de julho e setembro.

Poucas instituições pela cidade cravam uma data para a reabertura, como o Museum of the City of New York, que deve abrir no dia 23 de julho. Alguns espaços públicos, como o Memorial do 11 de Setembro, reabriram no dia 4 de julho.

Fila com distanciamento social no National Museum of Modern and Contemporary Art de Seul em maio

Abre-fecha

A Coréia do Sul teve que fechar parques, museus e galerias de arte em torno de Seul por pelo menos duas semanas no dia 28 de maio depois de ter começado uma reabertura no início do mesmo mês. A maioria deles, como o National Museum of Modern and Contemporary Art em Seul, continua fechada.

Registros de uma nova onda de contágio do novo coronavírus fizeram com que as autoridades incentivassem novamente o isolamento social, fechando os espaços que poderiam causar grandes aglomerações.

Em Pequim, o mesmo problema fez com que museus repensassem sua reabertura. Alguns permaneceram abertos, é o caso do UCCA (Center for Contemporary Art), deixando ainda mais estritas as suas regras de segurança. Outros, como o Minsheng Art Museum Beijing e o X Museum em Pequim, voltaram a fechar sem data para uma nova reabertura.