Família de Basquiat expõe rara coleção pessoal pela primeira vez

Durante a exposição intitulada King Pleasure, mais de 200 obras e artigos raros ou nunca antes vistos poderão ser admirados pelo público

Tempo de leitura estimado: 3 minutos
Jean-Michel Basquiat, 1982 (Crédito: Arquivo James Van der Zee, The Metropolitan Museum of Art)

Pela primeira vez na história, a família de Jean-Michel Basquiat exibirá sua coleção pessoal de obras e artigos pessoais do artista e o palco para este evento inédito é nada mais nada menos que o icônico edifício Starrett-Lehigh, localizado no bairro Chelsea em Nova York.  

Organizada por Lisane Basquiat e Jeanine Heriveaux, as duas irmãs do artista que também estão à frente do Jean-Michel Basquiat Estate, a exposição conta com a exibição de mais de 200 obras e artigos raramente ou nunca antes vistos. O objetivo é levar o visitante a conhecer a história do artista por uma perspectiva íntima e inédita, entrelaçando sua vida artística e pessoal. 

Imagem do interior da exposição (Crédito: Ivane Katamashvili)

A exposição intitulada Jean-Michel Basquiat: King Pleasure levou, segundo Lisane Basquiat, anos para ser preparada. Desde o trigésimo aniversário da morte do artista, em 2018, ela vem sendo meticulosamente desenhada pelas irmãs para trazer ao público esta inédita imagem de Basquiat: o homem por trás do ícone. “Existiram muitas exposições do trabalho de Jean-Michel, mas nunca pela perspectiva da família: Jean-Michel como criança, homem, filho e irmão”, aponta Lisane.

Já que o objetivo é fazer o visitante mergulhar em um universo íntimo e familiar a exposição vai muito além do que uma simples exibição de obras de arte. Cenários da vida do artista como sua própria casa ou seu estúdio foram recriados e contam com projeções, áudios e artigos pessoais do artista e de sua família, o que permite uma experiência verdadeiramente imersiva. Todos os detalhes foram cuidadosamente pensados, até mesmo o nome da exposição, que faz uma referência direta ao cantor de jazz King Pleasure, autor da música “Moody’s Mood for Love”, favorita de Gerard Basquiat, pai do Jean-Michel.

Imagem do interior da exposição (Crédito: Ivane Katamashvili)

Em meados da década de 70, Basquiat começou a ganhar cada vez mais atenção quando, ao lado do artista Al Diaz, que seria sua dupla por cinco anos, começou a fazer pichações pela cidade sob o pseudônimo SAMO, que significa “Same Old Shit”. Já no início dos anos 1980, ele era um verdadeiro fenômeno, figurava entre os principais nomes da arte contemporânea, era amigo de icônicos artistas como Andy Warhol, David Byrne e Madonna  e tinha seus trabalhos expostos nas mais importantes galerias. 

Jean-Michel Basquiat e suas irmãs Lisane e Jeanine (Crédito: The Estate of Jean-Michel Basquiat)

Com apenas 21 anos, ele foi o mais novo artista a integrar a importante exposição Documenta, em Kassel e aos 22 foi um dos mais jovens a participar da Whitney Biennial, em Nova York. Entretanto, no auge de seu sucesso, aos 27 anos, ele morreu deixando um inigualável legado para a história da arte e um futuro absolutamente promissor para trás. 

Serviço

Jean-Michel Basquiat: King Pleasure 

Local: Starrett Lehigh Building 

Endereço: 601 West 26th Street, New York, NY 10001

Data: 5 de Setembro 

Funcionamento: Segunda a sexta das 11h às 10h, Sábados e Domingos das 10h às 19h  

Ingresso: US$ 38,00 em dias de semana e US$ 45,00 aos finais de semana

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support