Artissima abre em versão online

Feira de arte italiana reúne artistas do mundo inteiro em seções curadas e, entre elas, apresenta trabalhos de quatro artistas brasileiros

Ivens Machado, na Fortes D'Aloia Gabriel
Ivens Machado, na Fortes D’Aloia Gabriel

Todo mês de novembro a turma artsy se reúne na Itália para fazer negócios e comer muita trufa! É que o mês da iguaria coincide com o da feira Artissima que reúne em Turim os mais renomados curadores, galeristas e artistas. Já conhecida por ser uma feira mais conceitual que atrai mais diretores de museus do que colecionadores muito mainstream, a feira italiana abre hoje em versão virtual com a participação de quatro galerias brasileiras dentro de setores curados.
Na seção Back to the Future, com curadoria de Lorenzo Giusti e Mouna Mekouar, é possível encontrar obras do artista Ivens Machado, representado pela galeria Fortes D’Aloia & Gabriel, com trabalhos relacionadas às questões do corpo. No mesmo “espaço” a artista Regina Vater, representada pela Galeria Jaqueline Martins, ganha notoriedade. Foram selecionadas obras produzidas entre o final da década de 1960 e 1980 que tratam da relação entre a sociedade, a natureza e a tecnologia. Vater, vale lembrar, contribuiu significativamente para o debate, nas artes plásticas, sobre ecologia.

Ovo Cósmico, de Regina Vater, na Galeria Jaqueline Martins
Ovo Cósmico, de Regina Vater, na Galeria Jaqueline Martins


Na mostra Present Future, com curadoria de Ilaria Gianni e Fernanda Brenner, escolherem dois jovens artistas brasileiros que usam a religião como meio para discutir problemas sociais e étnicos no Brasil. Antonio Obá, representado pela Mendes Wood DM, é conhecido por investigar as influências e contradições na construção da cultura brasileira e identidade nacional. Em suas esculturas, pinturas, instalações e performances, o artista critica a ideia de sincretismo exaltada por teóricos quanto o assunto é a formação da cultura brasileira. Ele confronta, assim, situações ligadas ao preconceito étnico, propondo uma reflexão íntima sobre seu próprio corpo negro que abrange para questionamentos sociais e morais mais amplos. Gianni e Brenner selecionaram, também, trabalhos do carioca Edu de Barros, do time da Sé Galeria. O artista “ocupou” a galeria durante os primeiros meses de isolamento social criando duas séries de arabescos que misturam referências clássicas e imagens de violência recorrentes em seu dia-a-dia no Rio de Janeiro. Barros vive e trabalha na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro e traz frequentemente em seus trabalhos temas relacionados à desigualdade social, além de tradições divinas e religiosas.

Edu de Barros, na Sé Galeria
Edu de Barros, na Sé Galeria


A feira criou a plataforma Artissima XYZ, com a ideia de promover uma experiência original de cross-media que transforma algumas seções da feira em uma experiência digital imersiva. Outras quatro seções estariam hospedadas fisicamente no pavilhão OVAL para receber expositores e colecionadores italianos e internacionais. Os organizadores da feira também previam uma programação integrada com nos museus da cidade. No entanto, com o aumento da segunda onda da pandemia do COVID-19 e o fechamento de todos os museus da Itália, os planos terão que ser adiados. Confira os trabalhos na plataforma Artissima XYZ.

Artissima XYZ
Datas: 3 de Novembro até 9 Dezembro de 2020
www.artissima.art

Antonio Obá, na Mendes Wood DM
Antonio Obá, na Mendes Wood DM