Mais de 100 obras pernambucanas são exibidas em São Paulo, na Arte132 Galeria

A mostra “Arte em Pernambuco – Coleção Enilton Tabosa do Egito” reflete a riqueza artística local

Reynaldo Fonseca
“Homenagem a Lucas Cranach” (1975) – Reynaldo Fonseca

Uma exposição panorâmica da arte de Pernambuco chega em São Paulo apresentando um arco curatorial extraído do acervo particular do Dr. Enilton Tabosa do Egito, cruzando mais de 70 artistas da metade do século XIX até o fim do século XX. 

Além de difundir e valorizar o fragmento histórico no qual essa seleção se insere, Arte em Pernambuco apresenta os grandes legados dessa produção para os demais estados, que comumente são esquecidos e apagados dos livros. 

Benjamim Gomes, autor do texto crítico da mostra, comenta em entrevista exclusiva ao ARTEQUEACONTECE: “Não podemos divorciar a gravura de um Samico (pernambucano) de um Carlos Scliar (gaúcho) ou de um Lívio Abramo (paulista). Também não podemos isolar Vicente e Cícero Dias dos modernistas, a exemplo de Anita Malfatti e Di Cavalcanti, assim como não podemos isolar um Lula Cardoso Aires de um Cândido Portinari.” 

Benjamim Gome
Benjamim Gomes e Enilton do Egito

Pensando nisso, é indispensável destacar os importantes pioneirismos dos artistas pernambucanos em cenário nacional: Arsênio Silva foi o grande responsável por introduzir a técnica de pintura a guache, Lula Cardoso Ayres e Cícero Dias foram os primeiros pintores abstratos nos anos 50. Vale ressaltar, ainda, que a Província de Pernambuco sediou o nascimento da pintura não-sacra brasileira.

A mostra também traça um paralelismo temporal entre o Modernismo Pernambucano e outros Modernismos. Ainda que no estado nordestino o movimento tenha igualmente se iniciado na década de 1920, quase nada estava articulado com a Semana de Arte Moderna de São Paulo. O artista Vicente do Rego Monteiro, por exemplo, exibiu oito de seus quadros no grande evento paulista, mesmo sem estar pessoalmente no Brasil. Sua inclusão na Semana se deve a indicação do grande colecionador Ronald de Carvalhos, que guardava as obras desde 1919. Outros, como Fédora, Álvaro Amorim, Mário Nunes, Baltazar e La Greca, tiveram um maior envolvimento com o Rio de Janeiro.

Serviço:

Arte em Pernambuco – Coleção Enilton Tabosa do Egito

Data: Até 12 de novembro de 2022
Local: Arte132 Galeria
Endereço: Av. Juriti, 132, Moema, São Paulo – SP
Funcionamento: De segunda a sexta, das 14h às 19h. Sábados, das 11h às 17h 
Ingresso: grátis 

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
pt_BR