Faap também celebra centenário da Semana de 22

Exposição ‘Modernos’ está dividida em duas partes e tem obras realizadas antes e depois do evento emblemático

Tempo de leitura estimado: 3 minutos
Paisagem de Pádua, 1888, Antonio Parreiras, acervo do Museu de Arte Brasileira - MAB Faap
Paisagem de Pádua, 1888, Antônio Parreiras, acervo do Museu de Arte Brasileira – MAB Faap

Modernos, mostra em cartaz no Museu de Arte Brasileira da Faap (MAB Faap), pretende fazer com que o público perceba, de forma concreta, as influências artísticas da Semana de 22 na arte brasileira. Para tanto, foi organizada em dois núcleos: Antes e Depois de 1922.

A primeira parte, que tem curadoria de Felipe Chaimovich e ficará em cartaz por três meses, apresenta obras de Antônio Parreiras, Eliseu Visconti, João Batista Castagneto e outros. O conjunto contempla o envolvimento de Paulo Prado, um dos principais mecenas e articuladores da Semana de 22, e de sua influente família nas artes. 

Frutas, 1888, Estevão Silva, coleção Museu Nacional de Belas Artes/Ibram/Ministério do Turismo; foto Jaime Acioli
Frutas, 1888, Estevão Silva, coleção Museu Nacional de Belas Artes/Ibram/Ministério do Turismo; foto Jaime Acioli

Enquanto Antes de 1922 conta com empréstimos de instituições parceiras como Pinacoteca, Masp, Museu Afro Brasil e Itaú Cultural, o núcleo Depois de 1922 inclui apenas trabalhos do acervo do MAB Faap. 

Máscara CLX / Fera III, 1970, Niobe Xandó, acervo do Museu de Arte Brasileira - MAB Faap
Máscara CLX / Fera III, 1970, Niobe Xandó, acervo do Museu de Arte Brasileira – MAB Faap

O objetivo, segundo a curadora Laura Rodríguez, é mostrar a ebulição característica das vanguardas até o surgimento dos grupos concretistas. Dentro desse conceito, serão abordados coletivos como Núcleo Bernardelli, Clube dos Artistas Modernos, Grupo Santa Helena, Grupo Guanabara e Atelier-Abstração. Para além do eixo Rio-SP, a exposição coletiva irá destacar as reverberações do modernismo em outras regiões do país. 

Espaço, 1984, Tomie Ohtake, acervo do Museu de Arte Brasileira - MAB Faap
Espaço, 1984, Tomie Ohtake, acervo do Museu de Arte Brasileira – MAB Faap

A segunda parte da mostra ficará em cartaz por mais tempo, até novembro, e será ampliada depois do encerramento do primeiro núcleo com obras dos grupos concretistas de São Paulo e Rio de Janeiro, do grupo Realismo Mágico liderado por Wesley Duke Lee e por uma seleção dos primeiros professores e alunos da FAAP.

Herói da guerra, estudo, São Paulo, 1979, Martina Caram, acervo do Museu de Arte Brasileira - MAB Faap
Herói da guerra,1979, Marina Caram, acervo do Museu de Arte Brasileira – MAB Faap

Até o final da mostra, poderão ser vistos trabalhos de nomes como Abraham Palatnik, Anna Maria Maiolino, Geraldo de Barros, Lygia Clark, Niobe Xandó, Tomie Ohtake, entre outros. 

Modernos

Data: até 27 de novembro de 2022 (núcleo Antes de 1922 até 29 de maio de 2022)

Local: MAB Faap

Endereço: r. Alagoas, 903 – Higienópolis

Funcionamento: quarta a segunda e feriados, das 10h às 18h (última entrada às 17h30); fechado às terças, mesmo em feriados

Ingresso: grátis 

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support