Farol Santander recebe grande instalação de Emmanuelle Moureaux em SP

Obra formada por mas de 15 mil peças suspensas no ar convida o público a uma imersão; representando muito o repertório da artista e seu conceito de shikiri

É impactante entrar no 23º andar do Farol Santander, localizado no bairro da Sé em São Paulo, e se deparar com milhares de números coloridos pendurados em cordões. São, ao todo, 15 mil números em 100 tonalidades diferentes de cores, que são colocados de 0 a 9 em cada fio branco, suspensos no teto, se misturando ao fundo branco das paredes do espaço. No meio, um corredor para que o visitante adentre o local, sendo coberto por esses números. Os 15 mil são apenas uma quantidade, mas ali dentro as tantas combinações que esses números podem criar deixam uma sensação arrebatadora de infinitude.

Essa é a instalação Floresta de Números, da artista e arquiteta francesa Emmanuelle Moureaux. Ela está em exibição em mostra homônima no Farol Santander paulistano, que tem curadoria da própria artista e produção de Angela Magdalena e Julia Brandão. A visitação pode ser feita a partir do dia 19 de fevereiro, sendo estendida até 23 de maio! A ingresso custa 25 reais (inteira) e garante a visita a todas as exposições em cartaz na instituição.

Vivendo no Japão desde 1996, ela foi convidada para criar uma obra que celebrasse o 10º aniversário do National Art Center, em Tóquio, em 2017. Foi nesse contexto que a obra foi criada, dentro de uma série que ela intitulou 100 colors, simbolizando os próximos 10 anos que estavam a vir pela frente, tornando-se uma das obras mais conhecidas da artista.

Uma obra, porém, pode acompanhar o contexto histórico que se forma no entorno dela. Nesta conjuntura atual na qual o mundo inteiro está inserido, números ganham novos significados. Nesta pandemia, os números não são imateriais. Eles são pessoas. Eles podem significar vidas que foram perdidas, vidas que se salvaram, vidas que foram colocadas à prova. Também podem significar quantas pessoas já receberam a aplicação da vacina e quantas pessoas faltam receber.

A variedade de cores em que os números aparecem faz pensar na diversidade dessas vidas. O silêncio no ambiente e a sensação de quietude causada pela obra também nos remetem a esse momento turbulento, no qual muitos de nós passamos um tempo em isolamento – alguns permanecem.

Além do Japão, Floresta de Números já foi exibida na Itália, na França e em Taiwan, a obra é marcante no repertório de Moureaux, que utiliza as cores como ferramenta para aflorar emoções. “Uso cores como elementos tridimensionais, como camadas, para criar espaços,
não como um toque final aplicado às superfícies”, diz em texto em seu site. Todo esse pensamento fez com que ela formulasse o conceito de “shikiri”, que significa a divisão e criação de espaços fazendo uso das cores como elementos tridimensionais. A artista encontrou essa fascinação pelas cores especialmente em elementos contemporâneos e tradicionais da cultura japonesa, encanto esse que fez com que ela se fixasse no país, abrindo inclusive seu escritório de arquitetura emmanuelle moureaux + design por lá em 2003.

Para visita a exposição no Farol Santander, atente-se às recomendações de segurança que a instituição adota no combate contra a covid-19, como uso obrigatório de máscara e a permanência no prédio de no máximo 1h45. Se possível, adquira seu ingresso com antecedência, pois eles são limitados.

Emmanuelle Moureaux: Floresta de Números
Data: de 19 de fevereiro a 23 de maio de 2021
Local: Farol Santander (Rua João Brícola, 24, São Paulo)