Amizade entre Joan Miró e Alexander Calder é tema da exposição no Rio de Janeiro

Na Casa Roberto Marinho, a exposição “CALDER + MIRÓ” evidencia a ligação dos dois artistas com o Brasil e os desdobramentos na cena nacional

Alexander Calder e Miró
Alexander Calder, à esquerda, e Joan Miró na abertura de uma retrospectiva de Calder na França em 1969. Fotografia de Jacques Robert

Sob curadoria de Max Perlingeiro, o Casa Roberto Marinho inaugurará, dia 19, a exposição CALDER + MIRÓ com cerca de 150 obras de variados suportes e artistas.

Apesar do título fazer referência ao escultor norte-americano Alexander Calder (1898-1976) e ao pintor espanhol Joan Miró (1893-1983), a mostra é expandida ao tratar da relação deles com o Brasil. Sendo assim, a curadoria inclui grandes nomes consagrados e influenciados direta ou indiretamente pelas produções da dupla, como: Abraham Palatnik, Arthur Piza, Antonio Bandeira, Franz Weissmann, Hélio Oiticica, Ivan Serpa, Luiz Sacilotto, Lygia Clark, Milton Dacosta, Mira Schendel, Oscar Niemeyer, Sérvulo Esmeraldo, Waldemar Cordeiro, entre outros.

A célebre e intensa amizade entre os dois grandes modernistas se deu após o primeiro encontro em Paris entre guerras em 1928. Mesmo depois de Calder retornar aos Estados Unidos e a Segunda Guerra Mundial dificultar a comunicação, eles forjam a aproximação e permanecem profundamente envolvidos até a morte do escultor em 1976. Os laços iam para além das afinidades pessoais, afinal as sensibilidades artísticas também são notavelmente semelhantes. 

Joan Miró
Les Coquillages, 1969 – Joan Miró

O curador convidado para o núcleo de expoentes brasileiros em diálogo com as obras de Calder e Miró, Paulo Venancio Filho, comenta: “A abstração para ambos não obedecia a um programa pré-determinado, estava fundada na intuição e na imaginação e, portanto, aberta ao instável. As mesmas características, não por acaso, vamos encontrar na arte moderna brasileira a partir dos anos 1950 que estabelecem nossa contribuição original à abstração geométrica.”

Além da mostra, o projeto da Casa Roberto Marinho contempla um ciclo de conversas com artistas e críticos, projeção de filmes e documentários, e um extenso programa educativo e interativo criado pela equipe de Educação do ICRM com a colaboração de Fernando Cesar Sant’Anna. 

Serviço

CALDER + MIRÓ

Local: Casa Roberto Marinho
Endereço: R. Cosme Velho, 1105 – Cosme Velho, Rio de Janeiro – RJ
Data: De 19 de agosto até 20 de novembro de 2022
Funcionamento: De terça a domingo, das 12h às 18h (entrada até às 17h15).
Ingresso: R$5 – R$10; quartas-feiras grátis e domingos “ingresso família” a R$ 10 para grupos de quatro pessoas.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
pt_BR