Ritual ancestral do povo Guajajara é foco da exposição de Maxence Loyer

A Galeria Gabriel Wickbold apresenta a exposição Wira’U’Haw, seleção de 15 fotografias do povo Guajajara cuja venda será revertida em verba para a comunidade

Tempo de leitura estimado: 2 minutos
Fotografia do ritual Guajajara "Festa da Menina-Moça" de Maxence Loyer.
Fotografia do ritual Guajajara “Festa da Menina-Moça” de Maxence Loyer.

O fotógrafo francês Maxence Loyer se debruçou sobre um ritual ancestral do povo Guajajara para retratar o momento em que as meninas da comunidade passam à vida adulta e se transformam em mulheres em frente aos outros membros da tribo. Conhecida como “festa da menina-moça”, a tradição marca um importante rito de passagem para o povo, no qual acontece a transmissão de saberes e processos de transformação matriarcais.

Fotografia do ritual Guajajara "Festa da Menina-Moça" de Maxence Loyer.
Fotografia do ritual Guajajara “Festa da Menina-Moça” de Maxence Loyer.

O ponto mais interessante destes rituais ancestrais é que eles são conservados graças à oralidade e são transmitidos de geração em geração: as bisavós passam às avós, que passam às mães, que passam às meninas logo após a menarca (primeiro período menstrual). Ao pôr-do-sol, as meninas-moças são apresentadas portando seus ornamentos e com as tradicionais pinturas de jenipapo. O ritual se estende por toda a noite, quando as mulheres e os participantes cantam e dançam. 

Quinze fotos coloridas compõem a exposição Wira’U’Haw, apresentada pela Galeria Gabriel Wickbold, esbanjando os trajes típicos marcados pela cor vermelha, o que é uma alusão aos pássaros da mata. As fotografias foram feitas quando Loyer estava na comunidade Guajajara e teve a oportunidade de vivenciar o ritual, se apaixonando e se envolvendo pela tradição. As fotografias estão à venda, todas possuem edições de dez, exceto uma que traz edição de cinco. Toda a verba adquirida com a venda das fotografias será revertida para a comunidade. 

Fotografia do ritual Guajajara "Festa da Menina-Moça" de Maxence Loyer.
Fotografia do ritual Guajajara “Festa da Menina-Moça” de Maxence Loyer.

A doação tem como objetivo fortalecer a cultura indígena no Brasil, visando o retorno social e a contribuição com o desenvolvimento do Centro de Saberes Tukàn, localizada na Terra Indígena Araribóia no Maranhão, lugar onde a educação sustentável valoriza a identidade dos povos traduzida na língua, nos cantos, nas danças e rituais. Lá, a comunidade incentiva a proteção do meio-ambiente e a produção orgânica de alimentos, artesanato e remédios naturais. São ações deste tipo que, verdadeiramente, unem arte e propósito e ajudam a proteger tanto o patrimônio cultural do país quanto a existência e a identidade dos povos nativos. 

Serviço:

Wira’U’Wira 

Local: Galeria Gabriel Wickbold

Endereço: Rua Lourenço de Almeida, 167 – São Paulo 

Data: De 5 de maio a 5 de junho de 2022

Funcionamento: De segunda a sexta-feira, das 10 às 18h. 

Ingresso: Grátis

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support